Redução de peso de produtos: de 500 para 450, 300, 285, 250 gramas...


Nunca esqueci uma cena de um seriado norte-americano que assisti na infância: o ator mirim segurava um pacote de bolachas recheadas semelhante ao que costumamos ver com rosquinhas de coco. Acredito que era algo em torno de 500 gramas.

Na época eu pensei: "Que legal esse pacote! Talvez logo seja vendido assim aqui também".

Para minha decepção, isso nunca aconteceu. Muito pelo contrário: os pacotes só têm diminuído ao longo do tempo...


peso-caixa-de-chocolate

caixa-de-chocolate-peso-menor


Quem se lembra dos pacotes de bolachas recheadas de 200 gramas?

E das barras de chocolate também de 200 gramas? E das caixas de 400 gramas?

Bons tempos...

Atualmente as barras de chocolate têm metade ou menos da metade da quantidade anterior. E para manter um certo tamanho estão cada vez mais finas.

As bolachas... Talvez chegará o dia em que serão vendidas em pacotes com apenas duas unidades. Não entendo por que criar pacotes de 90, 125, 143 gramas. Por que não voltar novamente para as embalagens de 200 gramas ou até aumentar essa capacidade como aconteceu com os refrigerantes? Parece que esse é o único produto que tem embalagens para todos os bolsos e gostos.


parte-da-caixa-de-bombom-escrito-mais-de-dezesseis-bombons
Eu contei assim que abri: exatamente 17 bombons. Ficou bem forçada essa frase...

As caixas de chocolate são as que mais decepcionam. 

De 400 para 375, 285 gramas e hoje têm opções com apenas 250 gramas! Ou seja, quase metade da quantidade original! Além disso, agora todas - ou quase todas - possuem litografia interna, que visualmente nos confunde ao proporcionar a sensação de que há mais chocolates na caixa do que a pequena quantidade real. Que saudades das caixas brancas por dentro, com mais chocolates de verdade e nenhum desenho em seu interior!

Infelizmente outros produtos seguiram o mesmo destino: pães, sabonetes, shampoos, cremes dentais, etc.


aviso-na-embalagem-de-pao-de-forma-sobre-reducao-de-peso-de-nove-porcento
Nem o pão de forma escapou... O peso diminuiu, mas o preço não.
A lata de óleo de 1 litro é bem mais antiga. Eu só conheci a de 900ml como encontramos atualmente. Ainda bem, mas infelizmente esse é um dos poucos produtos que continuam com a quantidade inalterada há décadas.


Não entendo o motivo de tantas mudanças

A redução de peso dos produtos se tornou tão habitual que há alguns anos o governo criou uma norma obrigando as empresas a informarem qualquer alteração desse tipo no rótulo, assim como você viu nas fotos desse post.

Por que e para que tantas alterações de peso?

Para tornar o produto mais acessível a uma parcela maior da população?

Para manter o mesmo preço quando há um aumento nos custos de produção e/ou no custo de vida?

Para que o lucro das empresas seja maior? Se for isso, será que as mesmas empresas agem assim nos países desenvolvidos?


O lado esquecido

Uma parte pouco lembrada é que embalagens menores podem significar compra de mais unidades, ou seja, mais resíduos (recicláveis ou não) serão produzidos.

Em uma época na qual chegou-se a conclusão de que o consumo atual é insustentável e muito maior do que a capacidade de recuperação do planeta, embalagens com maior capacidade não seriam mais adequadas?

Pensando no lado financeiro, poderiam ser disponibilizadas 2 tipos de embalagens. Dessa forma, todos os públicos seriam alcançados. Isso desde que as embalagens maiores proporcionassem alguma vantagem econômica, pois senão, não fariam sentido.


cofre-em-formato-de-porquinho-e-homens-colocando-moedas-nele

Como eu costumo fazer

Apesar de gostar bastante, evito comprar bolachas recheadas por não ser esse um produto adequado para a manutenção da saúde. Mesmo assim, quando compro não há muita opção de capacidade, assim como ocorre com a maioria dos produtos.

Em relação aos chocolates, eu cansei das reduções frequentes. Prefiro comprar uma barra de 1 kg (ou 2 kg, dependendo do preço). Para mim o produto dura por alguns meses e acho o preço mais adequado, se consideramos que no Brasil a carga tributária é bem alta. Mas pagar R$6,00 ou até mais por uma barra de 90 gramas já é demais para mim. Além disso, prefiro as barras maiores, pois nelas o chocolate não contém amendoim, que é utilizado em larga escala nos bombons. Talvez por esse insumo ser mais barato do que o cacau.


Agora pergunto à vocês

1) Você conhece algum produto que, em sentido contrário, teve aumento na quantidade?

2) Você também mudou seus hábitos de compra devido a tantas diminuições de peso dos produtos que costuma comprar?

2) Como muitos leitores do blog não estão no Brasil, acontece o mesmo onde vocês moram?


Crédito das imagens: Arquivo pessoal e Alexas_Fotos - Pixabay

Redução de peso de produtos: de 500 para 450, 300, 285, 250 gramas... Redução de peso de produtos: de 500 para 450, 300, 285, 250 gramas... Reviewed by Simplicidade e Harmonia on fevereiro 04, 2020 Rating: 5

35 comentários:

  1. E como vemos essas diminuições. Acham que nos enganan, mantendo o mesmo preço ,mas diminuindo a quantidade!!! AFF!! beijos, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. chica,

      Além disso, as empresas sempre copiam as outras nessa parte tão negativa... mas não nos enganam. O problema é que não temos tantas opções.

      Boa semana!

      Excluir
  2. Motivo: Aumentar o faturamento. Não vejo outra opção, se alguém souber que estou errado pode me corrigir.

    Nos EUA muitos produtos tem embalagens com grandes quantidades possibilitando essa opção ao consumidor.
    Aqui no Brasil até o rolo de papel higiênico ficou mais curto (menos metros de comprimento), aí aumentaram o diâmetro daquele "tubo" de papelão onde o papel higiêncio vem enrolado, dando a impressão que nada mudou.
    Apesar que com a diminuição das quantidades de alimentos e produtos alimentícios, até faz certo sentido a diminuição do papel higiênico.
    Brincadeira a parte me vem em mente o seguinte:

    Vemos programas de trainee de algumas dessas empresas de alimentos, para formar novos gestores. Até aí normal, mas se as empresas vão cada vez mais pra esse lado e usam desses artifícios para aumentarem lucratividade e competitividade, porque tantas exigências no momento de contratar funcionários, pra que tanta estratégia e afins, se as coisas são resolvidas assim?

    Pra finalizar acho que houve outra mudança do meu tempo de infância pra hoje. Chocolates e outros produtos alimentícios parecem ter mais açúcar que no passado. Sei que temos uma memória do nosso tempo de infância que nem sempre bate 100% com a realidade, mas acho que alguns desses produtos eram menos doces.
    Hoje tem uns produtos que parecem um xarope, como recheio de bolachas por exemplo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OBS: Nunca fui aos EUA, mas já ví por vídeos que lá a produtos com quantidades maiores.

      Excluir
    2. Anônimo,

      "Nos EUA muitos produtos tem embalagens com grandes quantidades possibilitando essa opção ao consumidor."
      Infelizmente no Brasil é utilizada essa maneira tão perversa de oferecer apenas uma opção de capacidade dos produtos citados no post e em muitos outros também.

      "Apesar que com a diminuição das quantidades de alimentos e produtos alimentícios, até faz certo sentido a diminuição do papel higiênico."
      Verdade. rsrsrsrsrsrs
      Eu lembro que os tubos eram menores mesmo e a quantidade maior. Parece que as empresas de todos os setores seguiram essa ideia.

      Quando você encontrar um produto de 800 gramas escrito: "700 gramas + 100 gramas grátis", pode esperar que em breve a capacidade será reduzida para 700 gramas mesmo. Aliás, é muito provável que esse mesmo produto já teve a embalagem de 1.000 gramas em um passado não tão distante.

      Interessante o seu questionamento sobre a exigência no momento da contratação, já que essa estratégia de diminuição de capacidade para maior lucratividade já está bem enraizada na cultura das empresas. Em muitos casos a cobrança por produtividade e alcance de metas chega a níveis que seriam considerados absurdos pelas gerações anteriores. parece que falta um certo equilíbrio nessa questão também - tudo em nome de lucro e marketshare cada vez maiores.

      Interessante também o que você falou sobre a quantidade de açúcar. Os achocolatados clássicos eram doces, mas não tão exagerados assim, embora açúcar disfarçado de doce parece que existe há tempos, como alguns recheios de bolachas e produtos mais baratos. Tem chocolate que parece apenas açúcar colorido e nada além disso. Imagine o mal que isso faz para a saúde, ainda mais se levarmos em conta que para dar um sabor mais agradável ao paladar, muita gordura é acrescentada ao produto...

      Boa semana,

      Excluir
  3. Fui no supermercado há 2 dias e me deparei com uma situação estranha: o sabão líqudo de 1L estava cerca de 90 centavos mais barato do que o mesmíssimo tipo de sabão líquido de 900ml (contendo o aviso de redução de produto na embalagem). Isso mesmo: a embalagem maior do sabão estava mais barata! E eram da mesma marca e mesmo tipo de produto. Meu chute é que estão querendo acabar o estoque da embalagem antiga de 1L, para ser logo substituída pela de 900ml...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Eu nem havia terminado de ler o seu comentário, mas já havia deduzido o mesmo que você. Querem terminar logo com o estoque. Uma pena tudo isso... Mas foi bom saber que agora a embalagem de 1L também está se transformando na de 900ml. E daí para 800, 700 talvez não demore tanto tempo, como eu respondi no comentário anterior.

      Boa semana!

      Excluir
  4. Olá querida Rosana!
    Mais um POST de grande utilidade.
    Também não consigo entender nem aceitar com facilidade essas mudanças loucas. Fico sem entender quando tentam explicar e nos empurrar essas novidades loucas.
    Não sou de comprar biscoitos industrializados com frequência, mas de vez em quando compro.
    Fui comprar cuckes integrais para meu filho e me espantei com o tamanho minúsculo do pacote. Procurei outra marca, estava menor ainda. Desisti de comprar e fui pro fogão fazer biscoitinhos.Espero que não comecem a diminuir o restante dos produtos.

    Abraço, Deus abençoe você sempre 🌷

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edna,

      Os cookies e muitos produtos integrais do tipo mereceriam um capítulo à parte. Será que alguém consegue explicar por que há tão pouco produto nessas embalagens? Por que não arredondar a capacidade para cima? Não vejo sentido em embalagens com 83 gramas. Ou 157. Ou 58. Chegam a ser absurdas essas anomalias brasileiras...

      Eu gosto desses produtos integrais prontos para consumo, porém acho um desrespeito total a capacidade do produto em relação ao preço absurdo que você provavelmente pagou.

      Agradeço por seu comentário. Bom saber que gostou do meu post. :)

      Boa semana!

      Excluir
  5. Olá, querida amiga Rosana!
    E visível o tamanho das coisas no mercado.
    Tem uns que estão 50% menores...
    Nesta semana falei isso com a pessoa que serve minhas quentinhas. Não aumentou o preço das mesmas,mas diminuiu sensivelmente a quantidade.
    Uma trapaça atrás da outra...
    Seja feliz e abençoada!
    Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roselia,

      "Uma trapaça atrás da outra..."
      Pensam que nos enganam. Muitas vezes compramos por falta de opção mesmo...

      No caso das quentinhas, muitas vezes não diminuem a quantidade, mas a qualidade pensando que ninguém vai perceber... A lógica acaba sendo a mesma das grandes empresas.

      Boa semana!

      Excluir
  6. Oi, Rosana querida!
    Seus posts sempre nos fazem refletir sobre as coisas da atualidade despertando nossa atenção para assuntos que acabam “passando batidos” no corre-corre dos nossos dias.
    Isso tudo é verdade,
    E além da diminuição da gramatura dos produtos, há também a diminuição ou a substituição de insumos de fabricação. Produtos que no passado tinham sabor excelente como, por exemplo, uma marca de bombons famosa que hoje nota-se que é apenas gordura vegetal com açúcar e corante marrom e de cacau só mesmo a essência.
    Forte abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Augusto,

      Os insumos melhores são cada vez mais utilizados para os produtos que serão exportados, enquanto os brasileiros ficam sempre com o pior. Essa é uma parte também perversa da cultura das empresas, talvez pelo país não fazer parte do seleto grupo de países desenvolvidos. Além disso, não é raro que um mesmo produto fabricado aqui (mas que acaba sendo inferior para o mercado interno por falta de insumos melhores ou acessórios como no caso dos automóveis) é vendido em outros países com preços menores, mesmo considerando todos os outros custos relacionados à exportação. Quem consegue explicar?

      Esse bombom já foi muito bom... E bem maior. Hoje, infelizmente é uma mistura de muita gordura vegetal e açúcar - uma combinação agradável ao paladar. E péssima à saúde. Até as barras de chocolate têm mais gordura e menos cacau hoje. E tem propagandas como:"60% de cacau"! Mas em uma barra de chocolate o que se espera? De 60% para mais de cacau e não menos! Mas como você disse, muitas delas têm apenas uma leve essência do que deveria ser o ingrediente principal...

      Bom te ver por aqui! Fico feliz em saber que tem acompanhado o meu blog. :)

      Excluir
  7. Oi Rosana, o mercado no Brasil tende a diminuir as embalagens por 2 motivos, primeiro a quantidade grande de mini-mercados então as embalagens tem que se adequar a essa realidade pois tem que ter espaço para outros produtos (tanto é que em atacaditas vende-se embalagens pack com várias com desconto) e pelo preço, diminuem o tamanho, mas não aumentam o preço. Sei disso pois tenho uma amigo promotor de vendas justamente de uma marca de biscoitos/bolachas. Eu não concordo com isso, só estou relatando o que me disseram rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Stifler Pobre,

      Gostei do seu comentário, pois traz uma outro lado da história: a guerra nas gôndolas.

      Isso me lembrou o estudo das geleias: quando as opções de produtos oferecidos era menor, as pessoas do estudo compraram mais. Quanto mais opções, mais difícil escolher e consequentemente, menos compras eram feitas.

      Mesmo os mercados menores poderiam simplificar a vida das pessoas. Sem aquele exagero de opções. Penso que é melhor você ter duas ou três opções boas do que 10 mais ou menos.

      Boa semana!

      Excluir
  8. Olá Rosana,

    Como bem disseram, em resumo é para ganhar mais. Diminui-se a quantidade, mas o preço continua o mesmo das gramas a mais.

    Outro ponto interessante é este sitado pelo Stifler. (embalagem para mini mercados)

    Enfim, acho que essa tendência não tem hora para acabar. E isso esses dias pegou o sabão em pó que costumo comprar. Sempre oferecido em pacote de 1,2 kg, agora mudaram para um de 800gr. E mais, por quase o mesmo preço :(

    P.S Em minha viagem a Europa, notei em um Carrefour de lá pacotes com 1 ou 2 tiras de mussarela, presunto...

    Espero que isso não venha para o Brasil (se já não veio)

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Investidor Inglês,

      Uma pena que todos os produtos estejam indo pelo mesmo caminho... O sabão em pó que você falou teve a redução de capacidade de 1/3! Mas o preço não diminuiu. Se duvidar, até aumentou. Se isso ainda não aconteceu, é questão de tempo. É também questão de tempo outras empresas do setor seguirem o mesmo caminho. Lamentável tudo isso...

      2 tiras de muzzarela... essa é nova para mim. Chega a beirar o absurdo.

      Boa semana!

      Excluir
  9. Sua percepção é real e preocupante, Rosana! Podem existir várias razões como comentaram acima. Minha observação, no entanto, é que isso gera uma inflação implícita que não aparece nos índices oficiais.

    Eu não consumo os produtos alimentícios que citou, mas percebi isso nos sabonetes. E eles não diminuíram o preço. Logo, estou pagando mais por grama de sabonete e esse valor não aparece na inflação. Um ponto que sempre temos de ter atenção!

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André,

      Sutilmente os sabonetes entraram nesse barco também: 100 gramas para 90 gramas, para 85 gramas... E assim vai. Preocupante mesmo, pois não sabemos até onde e até quando.

      Sem dúvida gera uma inflação implícita, que não se pode mais dizer que é tão pequena, já que a maioria dos produtos continuam tendo suas respectivas capacidades diminuídas sucessivamente.

      Boa semana!

      Excluir
  10. Oi, Rosana. Também renho reparado nessa diminuição dos tamanhos. Os pacotes de bolacha vêm cada vez menos e estão cada vez mais caros. Quanto ao chocolate, em mercados atacadistas é possível encontrar algumas barras (já vi da Lacta) que tem acho que 165g. Até parecem gigantes perto das barras novas de 90g, mas na verdade, esse tamanho era comum antes. Recentemente fiz as contas e comprei um pacote de chocolate (desses para uso culinário, mas de qualidade) de 2 kg para ir consumindo aos poucos. Levei um produto de qualidade e paguei mais barato do que se levasse essas barrinhas individuais.
    Outro produto que notei as embalagens menores é pasta de dente. Dá até raiva, porque o modelo antigo era tão simples e eficiente. Agora as embalagens estão menores e piores, a tampa não fecha direito, vai virando uma meleca.
    Tem horas que bate um desânimo porque as coisas estão cada vez mais caras, agora vai aumentar a alíquota do desconto do INSS e a gente fica só na luta para conseguir dar conta de tudo.
    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcella,

      "Recentemente fiz as contas e comprei um pacote de chocolate (desses para uso culinário, mas de qualidade) de 2 kg para ir consumindo aos poucos. Levei um produto de qualidade e paguei mais barato do que se levasse essas barrinhas individuais."
      É esse que costumo comprar. Até esqueci que era para uso culinário, já que serve tão bem para consumir puro mesmo. rsrsrsrs

      Pasta de dente: de 90 gramas para 80... Tem pastas até com 70 gramas! Mas o preço é sempre o mesmo inicialmente. E com o tempo, fica mais caro.

      Não sabia que a alíquota de desconto do INSS vai aumentar novamente.... O que percebo é que os impostos em geral são altos demais pelo retorno quase nulo que temos. E além disso, as empresas fazem questão de piorar a situação diminuindo as capacidades dos produtos sem alteração de preço. Ou seja: pagamos mais e recebemos menos. E consequentemente pagamos mais impostos também...

      Boa semana!

      Excluir
  11. "Para manter o mesmo preço quando há um aumento nos custos de produção e/ou no custo de vida?" si, dinheiro (custos)

    prefiro chocolate meio amargo (+60% cacau) ou cacau em pó: mais natural e saboroso

    açúcar faz mal e evito

    vou testar um dia barras de chocolate de quase 100% cacau que vejo vendendo no ML

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Scant,

      Depois que eu descobri que o chocolate amargo tem mais gordura para compensar a quantidade menor de açúcar, desisti deles.

      Cacau em pó sem dúvida é muito melhor. Tem gosto de chocolate de verdade. :)

      Ainda não tinha ouvido falar nessas barras com quase 100% de cacau. Depois poste em seu blog o que achou.

      Um bom final de semana!

      Excluir
    2. açucar é veneno

      gordura é alimento desejado (https://www.youtube.com/watch?v=17_RiV0d4wc): se a fonte de gordura da barra de chocolate amargo for natural , é bem vinda. enfim, é o trabalho de sempre de ler a embalagem para não engolir gordura hidrogenada

      a ideia é testar um desses:
      https://produto.mercadolivre.com.br/MLB-1082238885-chocolate-puro-natural-100-cacau-barra-1kg-sem-acucar-_JM?quantity=1#position=3&type=item&tracking_id=746b341a-06e3-4c39-b4be-341bdf4d304c

      Excluir
  12. Oi Rosana,
    Sabe que minha sogra, faz um cookie delicioso, a receita diz para colocar 1 barra de chocolate. Pois bem, como sabemos, a barra do chocolate está diminuindo a cada ano!!! E minha sogra continua colocando somente 1 barra, meu marido já falou para ela colocar mais chocolate para deixar o cookie mais gostoso... mas adivinhe? rsrsrs Eu e meu marido sempre conversamos que daqui a 10 anos, minha sogra irá continuar colocando 1 barra de chocolate.... de 10g kkkkk. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yuka,

      Acho que talvez sua sogra ainda não tenha entendido de verdade que a barra não é mais a mesma... Um pouco por nossa memória, que não é muito boa para guardar tamanhos exatos por muito tempo. Além disso, propositalmente, as barras foram sendo diminuídas milimetro a milímetro, tanto na largura quanto na espessura, o que acaba dando a impressão de que existe mais chocolate onde não há. Sem contar os quadrados das barras, estão aumentando o tamanho de espaço vazio...

      Daqui a 10 anos, não dá nem para imaginar o tamanho. rsrsrsrs Mas talvez cheguem mesmo a 10 gramas. E talvez as barras tenham um grande espaço vazio, como um barco, para dar uma sensação maior de quantidade.

      Um bom final de semana!

      Excluir
  13. O minimalismo não exige que você deixe de comer o que você gosta. Escolhas certas reduzem o desperdício e nos faz pensar 2 x antes de sair comprando algo e melhoram nossa saúde.
    Hoje cultivo ervas frescas em vasos e procuro consumir alimentos que estão na safra. Sempre que é possível tenho dado preferência por produtos locais, biológicos, não processados. Não consumir produtos industrializados te livra de muito desperdício e dinheiro.
    Hoje voltei a escrever e aproveitei para visitar os blogs do coação. Bj grande

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ypsilon Yvone,

      "Escolhas certas reduzem o desperdício e nos faz pensar 2 x antes de sair comprando algo e melhoram nossa saúde."
      O mundo ideal seria esse, mas com tantas deliciosas opções ricas em açúcar e gordura, para mim ainda é difícil ignorar tudo isso como você faz. Parabéns por sua atitude, pois economiza dinheiro e mantém a saúde. :)

      Seu comentário é muito útil para reflexão, pois a saúde é resultado em grande parte do que consumimos.

      Um bom final de semana!

      Excluir
  14. Por aqui, também já notei isso, também em chocolates e bolachas, e outros produtos... e como resposta... compro produtos de marca "branca", com qualidade semelhante... preço menor, e com bem menos truques visando o lucro... já há muito que me deixei de preocupar com marcas... somos mal servidos... e enganados, para todos os efeitos... assim compro o produto branco, que não tem marca, e vem da mesma fonte, donde vêm as marcas... e aqui em Portugal, cada vez há mais gente fazendo idêntica opção... as prateleiras das marcas... ficam cheias, tempos e tempos... e depois quando os prazos de validade se aproximam... é que lançam mão de grandes descontos para as escoarem... e sim, nessa altura vale a pena comprar as marcas, pois ainda que tenham quantidades reduzidas, também terão os preços reduzidos, dada a proximidade dos prazos de validade...
    Como sempre, por aqui, um tema bem pertinente e actual!...
    Beijinhos! Feliz fim de semana!
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana,

      Os produtos da marca branca geralmente são bons, mas aqui no Brasil a parte de chocolates deixa muito a desejar. Parece apenas açúcar colorido, pois não são feitos por grandes e conhecidas marcas, como acontece com outros produtos. Eu também sempre costumo olhar o fabricante da marca branca.

      Que bom que aí em Portugal as pessoas começam a perceber isso, pois são opções mais baratas, pois não há a marca por trás.

      Bom saber que gostou do meu post. :)

      Um bom final de semana!

      Excluir
  15. Seu blog é de muito bom gosto, Rosana.
    Leitura boa e de qualidade excelente.
    Já a alum tempo trabalho na área de varejo e sim, a diminuição do tamanho e do itens de maior valor agregado dentro dos produtos é uma estratégia dos fabricantes.
    Mais ainda, do sistema desse mundo materialista que vai cozinhando as pessoas aos poucos, primeiro colocam-nas na água fria, depois acendem o fogo e quando a população começa a perceber já está cozida.
    Lançam produtos com as características e ingredientes que tinham no passado e nos fazem acreditar que inventaram uma receita maravilhosa e inovadora.
    Transformam o comum e normal em grife e as pessoas passam a sentir status ao consumir esses itens.
    Tudo vai mudando e a maldade do ser humano está contaminando o planeta cada vez mais.
    Antigamente se aconselhava comer frutas com a casca, ingerir verduras, mas até isso hoje se torna risco de vida devido aos agrotóxicos. Ai acontece o inverso do que ocorre em relação a gramatura dos produtos, para se produzir mais rápido e em maior quantidade envenenaram a terra nossos alimentos, nossos rios e mares, nosso ar.
    Enquanto isso a mídia envenena nossas mentes e nossos corações.

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  16. Ouvi uma vez de uma marca de refrigerantes que eles diminuíram as latinhas para cumprir novas métricas da OMS sobre o consumo de açúcar dos consumidores, dessa maneira a empresas estariam "ajudando" as pessoas a consumirem quantidades ideais diárias de açúcar. Uma palhaçada, que as embalagens diminuem, mas os preços não. Ainda que isto fosse verdade, sempre pensei que o consumidor é que deveria controlar seu consumo, se alimentando com a quantidade necessária por opção e não sendo forçado pelo fabricante. Abraço, ótimo post!

    ResponderExcluir
  17. Então, respondendo as suas 2 últimas perguntas do post: Sim, eu mudei minha forma de consumir depois de haver tantas mudanças de tamanho nos produtos. Eu passei a consumir menos por achar que o preço não é justo e por me sentir meio idiota de continuar comprando um chocolate que antes era 180g e agora está 89g. É meio estúpido isso, não?
    E sim, eu vi um produto aumentar de tamanho: REFRIGERANTE. Isso se deve, pois, o consumo deste produto vem sendo afetado por não fazer bem à saúde, então uma forma de iludir as pessoas é mostrando uma grande quantidade por bem pouco valor, assim como nas garrafas de água. A pessoa tem a sensação de que está se dando bem, levando muito por pouco. Em tempos ruins para as margarinas e refrigerantes, não seria bom diminuir de tamanho, né?

    ResponderExcluir
  18. é uma porra msm, doritos ja era um saco cheio de ar com so metade preenchido do produto
    da embalagem, e eles tiveram a cara de pau de aumentar o preço e ainda diminuir a quantidade. isso deveria ser considerado propaganda enganosa, vender uma embalagem grande e quando vc abre menos da metade é de fato oq vc comprou.

    ResponderExcluir



Tecnologia do Blogger.