Paixão pela excelência


Conforme prometido anteriormente, esse é o quarto e último post sobre algumas reflexões do livro "Na jornada com Cristo", de Max Lucado. Se você não leu os anteriores, veja os links no final.

Essa reflexão é iniciada com uma frase simples e breve, mas muito profunda, que futuramente se transformará em um post.

"Seja bem sucedido naquilo que é importante."

O texto continua falando sobre o fato de vivermos em uma sociedade na qual a paixão pelo poder é tão forte, que a maioria de nós encontra-se em um dos dois papéis:  pressionamos ou somos pressionados.

Porém, há uma grande diferença entre paixão pelo poder e paixão pela excelência.  Enquanto na paixão pelo poder, a intenção é glorificar-se, na paixão pela excelência, a intenção é fazer o seu melhor.

Nesse ponto, gostaria de fazer alguns comentários sobre a excelência. Como diz Mário Sérgio Cortella, "excelência é você fazer o seu melhor nas condições que você tem hoje, para quando tiver melhores condições fazer melhor ainda."

Mas quantos de nós agimos assim de forma rotineira?

Quantos de nós consegue tornar a busca pela excelência em um hábito ou em um objetivo a ser alcançado?

Deus deu dons específicos a cada um de nós. Se você se identifica com música, fotografia ou agricultura, provavelmente haverá pouco - ou nenhum - interesse em áreas como direito, economia ou administração.

Seguir um rumo profissional em desacordo com suas afinidades só o tornará infeliz e insatisfeito, com a sensação de missão não cumprida nessa área. O mesmo ocorre em todas as outras áreas da vida. Em todas.

Não importa a tarefa a ser executada: pode ser lavar louça, pintar a casa, arrumar o guarda-roupas, passear com os cães,  trabalhar, estudar, fazer investimentos, orar, ler, meditar... 

Faça com excelência. 

Dê o seu melhor. 

Esteja presente de forma completa no momento presente. Ou ao menos, o máximo que conseguir.

Agindo dessa forma e iniciando pelas pequenas tarefas, naturalmente seu cérebro vai criando novas conexões nesse sentido. Se praticar com interesse e disciplina, vai chegar um momento em que você se sentirá bastante desconfortável em fazer as coisas de qualquer jeito, pois isso não fará mais parte de sua personalidade, pois você já terá subido mais um degrau na escada do desenvolvimento pessoal.


chave-com-a-palavra-sucesso

Como Albert Einstein disse, "a mente que se abre a uma nova ideia, jamais voltará ao seu tamanho original."

O autor encerra esse texto no livro com a frase: "A busca pela excelência é uma marca de maturidade."

Então pergunto: você está disposto a dar esse passo?

Se você leu esse texto até aqui, acredito que sim. Então, desejo-lhe muita sabedoria e sorte em sua caminhada rumo à excelência!



Links dos posts anteriores:
Post 1 - O caráter produz coragem
Post 2 - Concentre-se na tarefa que você tem em mãos
Post 3 - Hábitos Saudáveis
Resenha - Na jornada com Cristo - Max Lucado


Comentários

  1. Tudo é vaidade, mas tb busca o melhor.

    Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Scant Tales,

      Exatamente. Encontrar o equilíbrio entre eles: eis a questão.

      Um bom final de semana,

      Excluir
  2. Excelentes pensamentos, Rosana!

    Fazer o nosso melhor é imprescindível para uma vida bem preenchida. Quando somos excelentes no que fazemos, propagamos energias positivas para quem está ao nosso redor, que podem incrementar o ciclo.

    Pegando uma carona em uma resposta que escrevi agora pouco lá no blog, adiciono a provocação de nunca também ficarmos estacionados fazendo apenas as atividades onde somos excelentes. Me entristece um pouco a noção de você fazer apenas alguma coisa em sua vida, ou seja, ser um "especialista" em algo.

    Por mais que você seja bom e influencie positivamente muitas pessoas, vejo que uma vida pode ser vivida de forma mais ampla. E ser especialista em apenas uma coisa não é a melhor forma de fazer isso.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. André,

      Interessante o seu comentário, é algo a se pensar. O 1º parágrafo ficou perfeito!

      Ser especialista deve ser bom (até pelo bem que isso pode resultar), mas um pouco reducionista em um mundo tão amplo em relação a atividades e possibilidades, até porque todos possuímos muitos dons e afinidades.

      Um bom final de semana!

      Excluir

Postar um comentário


© 2019 Simplicidade e Harmonia - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total desta obra e permitida a reprodução parcial desde que citada a fonte.