Coronavírus - tempos estranhos... E o que estou aprendendo com tudo isso

Apenas em 16 de março eu percebi que o caos que havia se instalado na China e na Europa também estava iniciando sua sinistra e silenciosa entrada no Brasil.

Será uma segunda-feira difícil de esquecer: apesar do movimento bem abaixo da média para a data, havia um clima tenso e estranho no ar como nunca antes ocorreu onde eu trabalho.

Não pude deixar de comparar esse dia tranquilo em relação às atividades profissionais corriqueiras com os dias também tranquilos do meio de feriados. E percebi que a distância entre eles era imensa e até abissal.


Como tudo começou

Em dezembro de 2019, o oftalmologista Li Wenliang, do Hospital Central de Wuhan soube que haviam 7 casos de uma uma infecção causada por um vírus com sintomas parecidos aos da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), que no início dos anos 2000 matou mais de 700 pessoas.

Ele entrou em contato com infectologistas e autoridades médicas, tentou alertá-los, mas ninguém deu atenção às suas palavras. Muito pelo contrário, foi acusado de espalhar informações falsas que causaram distúrbios à ordem social no país.

Em janeiro, ao tratar um paciente com glaucoma, acabou contraindo o vírus.

O Dr. Lee faleceu em 06/02/20, deixando a esposa grávida e um filho de 5 anos.

Foi considerado um herói em seus país. Infelizmente pagou com sua própria vida o descrédito das autoridades sobre o assunto, pois somente ele conseguiu ver o que ninguém mais foi capaz  de compreender.


O caos

Em pouco tempo o caos se instalou quase que no mundo inteiro, com poucos países conseguindo controlar a propagação do vírus de forma mais eficaz, como Japão e Coréia do Sul. Temos muito a aprender com esses países, que agiram no momento certo.

A quantidade de pessoas que não resistiu a essa variação tão letal do vírus chega a ser surreal, principalmente se pensarmos que estamos em pleno século XXI e com uma tecnologia razoavelmente avançada.

A Organização Mundial da Saúde demorou para perceber que o problema era muito mais grave do que acreditava-se a princípio. E o Brasil, para variar, também demorou a tomar atitudes mais assertivas para evitar a propagação em larga escala do vírus.

Um país com um sistema público de saúde que opera quase no limite de sua capacidade não poderia ter demorado tanto tempo para agir. E nem perder mais um precioso tempo com decretos federais anulando decretos estaduais que foram criados para tentar conter a disseminação ainda maior de algo que já está fora de controle.

Não sou a favor de um partido ou de outro, mas acredito que o momento é sério demais para perder-se tempo trocando farpas e acusações, até porque o país já está em estado de calamidade pública.

Cidades com 40, 50 mil habitantes e distantes dos grandes centros urbanos já possuem casos confirmados do Covid-19!

Mais uma vez, faltas de eficácia e atitude mostraram suas garras, mas agora com a morte bem real e bem próxima à todos nós.


mapa-do-brasil-com-todos-os-casos-de-coronavirus-por-estado


Como podemos nos proteger

Há muita informação e também muita desinformação.

Como a cada dia novas descobertas são feitas, fica até difícil distinguir o que realmente pode ajudar do que não tem serventia alguma.

Por tudo o que li, vi e ouvi, estou tentando me proteger com algumas das orientações que achei mais sensatas.

Além das mais divulgadas como manter distância de 2 metros de outras pessoas, cobrir o nariz ao tossir ou espirrar, estou também deixando os sapatos do lado de fora - algo que eu já fazia de vez em quando, mas agora virou rotina para mim.

Além disso, estou procurando aumentar a imunidade, pois entendo que um sistema imune mais resistente pode ser útil muito nesse momento. Não sei se estou certa, mas de qualquer forma, uma alimentação mais saudável e um sono reparador são muito adequados em qualquer momento.

Na realidade, sem nenhum planejamento ou intenção, comecei a fazer uma dieta mais natural possível. Estão guardados os pacotes de bolachas recheadas e as barras de chocolate que comprei no dia 15 - um dia antes de eu perceber que a coisa era mais séria do que eu imaginava.

Passei a utilizar limão, acerola, moringa, alho e cebola com mais frequência. Além disso, chás de camomila, erva cidreira e capim santo, pois os considero bons para acalmar e diminuir a ansiedade e a tensão ocasionadas por tantas notícias ruins do momento atual, principalmente para quem mora em uma cidade grande, como eu, na qual a quantidade de pessoas infectadas provavelmente é muito maior do que os números oficiais indicam, até porque no início a maior parte dos pacientes são assintomáticos, mas disseminadores do vírus.

Oração, meditação e aromaterapia já faziam parte da minha vida, porém agora as utilizo com mais frequência em busca de um pouco de bem-estar e paz.


Pessoas que não veremos mais

Posso estar sendo trágica, mas pensando no que está ocorrendo na Itália, Irã, EUA, etc, tudo isso é uma triste e grave consequência desse vírus tão letal. 

No Brasil, até ontem, 140 pessoas perderam a vida por causa dessa doença.

O que mais causa incômodo e angústia é que nesse momento, tudo isso pode estar tão perto de nós! Mas quem sabe ao certo? 

Como lidar com esse inimigo invisível, se não há possibilidade de efetuar testes em massa na população? Felizmente a maioria parece estar seguindo a quarentena para evitar uma disseminação ainda maior do vírus, mas com os testes, o controle seria significativamente mais eficaz.

Encerro esse post com uma mensagem: não deixe para depois o envio de um áudio, vídeo ou um telefonema para pessoas queridas que estão fisicamente distantes. Aproveite também para conversar com os que estão próximos - mantendo sempre a distância de no mínimo 1,5 metro. 


Reflita sobre a sua vida. 

Sobre seus hábitos de consumo. 

Sobre a correria do dia a dia. 

Será que tudo isso realmente faz sentido? 

Será que tudo isso realmente vale a pena?


Não estamos falando de uma fatalidade, mas de uma tragédia anunciada que poderia ter sido evitada. Mas infelizmente, mais uma vez a situação foi ignorada no início por quem está lá exatamente para isso.

Em algum momento, tudo isso vai passar. Mas o rastro de destruição deixado em muitas famílias será para sempre irreparável. 

De qualquer forma, espero que os impactos negativos sejam os mínimos possíveis na vida de todos nós.

Que a partir desse momento, em quarentena ou trabalhando, você escolha valorizar o que realmente importa.


Valorize o simples.

Valorize as pessoas pelo que elas são de fato e não pelo que possuem.

Valorize os momentos agradáveis.

Valorize as companhias agradáveis.

Valorize a natureza, que possui tanta beleza, simplicidade e complexidade ao mesmo tempo.

Valorize a imensidão do céu.

Valorize um sorriso sincero.

Valorize cada gole de um copo de água nesse outono tão singular.

Valorize cada inspiração e cada expiração. Seja grato por seus pulmões funcionarem com excelência.

Valorize a organização e a disciplina.

Valorize o silêncio e a tranquilidade.

Valorize o sono reparador.

Valorize a saúde.

Valorize a paz.

Valorize a oração.

Valorize a fé.

Hoje, decida valorizar o que realmente importa.

Hoje, decida valorizar a vida.


gato-entre-flores-em-um-gramado



Créditos das imagens: Olhar digital e Ilona Ilyés - Pixabay


Coronavírus - tempos estranhos... E o que estou aprendendo com tudo isso Coronavírus - tempos estranhos... E o que estou aprendendo com tudo isso Reviewed by Simplicidade e Harmonia on março 31, 2020 Rating: 5

27 comentários:

  1. Será que tudo isso realmente faz sentido?
    não, mas suicídio não é uma opção agradável

    abs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Scant,

      Em uma situação como essa, talvez até o número de suicídios tenha caído...

      Abraços,

      Excluir
  2. Respostas
    1. Penso como você, Francisco...
      Só espero que isso tudo acabe o mais rápido possível.

      Excluir
  3. Tempos de corona, quarentena importante... Parece mentira que o mundo está vivendo tudo isso. Parece nos mostrar o real tamanho que temos,ou seja, chega um vírus pequeninho e nos coloca presos em casa, medo, tudo bagunçado em nossas vidas, afasta de pessoas, nos tira vidas. Muito triste! Precisamos força pra não nos abalar e seguir confiantes,esperando que tudo passe e sem deixar nossa "peteca" cair! beijos, chica, fica bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. chica,

      Parece mentira mesmo... Parece até um pesadelo.

      Não entendo como em pleno século XXI as coisas tomaram tamanha proporção. A ânsia por uma normalidade artificial fez com que a maioria dos países não agisse a tempo. E deu no que deu.

      Precisamos mesmo de muita confiança e esperança para que tudo isso passe causando o mínimo de estragos possíveis na vida das pessoas.

      Abraços!

      Excluir
  4. É fundamental que se tenha equilíbrio. O mundo já passou por várias pandemias e por uma série de situações críticas.
    Os vírus e bacterias estão aí o tempo todo, provocando os mais diversos tipos de doenças, portanto na realidade a situação que estamos passando de certa forma é constante, claro que sei de todos os desdobramentos da situação atual, mas não sou do grupo de pessoas que acha que estamos vivendo algo inédito. Não estamos.
    Virão também os desdobramentos econômicos que não sabemos ao certo que extensão terão e podem ser tabém graves. Mas vamos vendo como as coisas vão se desenrolando.

    Quanto aos questionamentos que você fez em seu post, sobre a vida, o que é importante etc. Posso até estar sendo superficial na minha análise, mas acho que a vida das pessoas de modo geral mudará muito pouco ou mesmo nada com essa crise.
    O tamanho da mudança ou não vai depender do tempo de crise e consequências, por isso ainda é um pouco cedo pra afirmar, mas penso que passado tudo isso, aos pouco tudo volta ao que era antes.
    Tá cheio de gente contanto os minutos pra passar essa situação e poder voltar a encher a cara, falar da vida alheia com os "amigos", correr atrás de mulher ou de homem, postar fotos das novidades em suas redes sociais etc.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo,

      Realmente não estamos vivendo algo inédito. A diferença é a grande e assustadora proporção que tudo isso tomou. Assim como os governos e a OMS erraram, quantas vezes também não erramos ao postegar ações que precisam ser tomadas? - assunto para outro post. rsrsrs

      Infelizmente penso como você: pouco mudará. Exceto para aqueles que estiverem dispostos a aprender com tudo isso.

      Abraços,

      Excluir
  5. Oi Rô!
    Penso que o ser humano só muda de verdade depois de tragédias, grandes perdas. Mas mesmo assim penso que depois de um tempo começa a repetir os mesmos erros de antigamente. Já tivemos no passado a gripe espanhola, que matou muita gente. Naquele tempo penso que se aprendeu muito. Mas cá estamos aqui novamente repetindo os mesmo erros. Tem jeito não viu!
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uó,

      Hábitos...
      Interesses...
      Consumo....

      No final quase tudo volta ao normal, assim como sempre. Mas penso que há várias lições que podemos aprender nesse momento. E se estivermos dispostos, o impacto poderá ser positivo olhando por esse lado.

      A grande questão é que os próprios governos, a indústria e o marketing continuarão agindo da mesma maneira: incentivando o consumo para que a roda da economia gire cada vez mais rápido. Mas será que não chegou o momento de repensarmos se é esse o mundo que ainda queremos?

      Vários locais tiveram uma queda significativa na poluição atmosférica. Talvez melhorar a qualidade do transporte público e tornar os carros elétricos mais acessíveis seja um bom recomeço.

      Bom te ver por aqui!

      Excluir
  6. Olá Rosana
    Postagem muito interessante, obrigada por compartilhar. Tempos terríveis, vamos ficar em quarentena, orando para Deus nos fortalecer neste momento de dificuldade e que passe logo. Como é gratificante valorizar a vida e as pessoas agradáveis. Bjs querida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucinalva,

      Penso que são em momentos assim que percebemos o que realmente tem valor para cada um de nós.

      Abraços,

      Excluir
  7. Olá Rosana, tudo bem? Espero que esteja!

    Venho aqui endossar o uso da tecnologia para se comunicar com seus amigos, familiares... Enfim, quem é do seu convívio. Não deixe para amanhã a videochamada que você pode fazer hoje!

    Isso te fará muito bem (eu sei que pode ocorrer um efeito contrário. Mesmo assim, faça a chamada)

    Gostei sobre suas questões quanto a imunidade. Mas no seu lugar, eu comeria as bolachas rs Claro, com moderação.

    Ainda sobe a imunidade, minhas pesquisas vão de encontro a sua. Alimente-se bem com proteínas, gorduras e fibras. Não esqueça os carboidratos, por favor, são essenciais para te manter ligado. Apenas procure consumir os bons carbs (pães, bolachas, bolos não são a dica)

    E dormir é primordial. Em pesquisas vi muita coisa boa sobre a vitamina D e até pensei em suplementar, mas não é nada recomendado fazer isso sem uma avaliação médica. Por isso só colocarei em plano a suplementação após uma visita ao médico.

    Automedicação jamais!

    Boa semana e se cuide!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Investidor Inglês,

      Não havia pensado na possibilidade da comunicação fazer o efeito contrário, mas você tem toda razão, pois as desavenças comuns migram do mundo real para o digital. Mas no fundo, a gente sempre sabe com quem conversar mais e de quem o relacionamento mais distante continua sendo a melhor atitude.

      Carboidratos integrais são a melhor escolha - é o que penso.

      Também vi algumas matérias e vídeos falando sobre a vitamina D (que na realidade é um hormônio), principalmente por ela aumentar a imunidade. Também concordo que a suplementação não é boa sem supervisão médica, pois todas as vitaminas em excesso acabam fazendo mais mal do que bem à saúde.

      De qualquer forma, procuro conseguir a minha através do sol. Várias pesquisas dizem que 10 minutos no horário das 11:00 às 14:00 horas é o suficiente, exatamente por ser o horário no qual os raios solares são mais intensos. Faço isso há alguns anos e apenas uma vez meu exame deu o nível intermediário, pois foi uma semana na qual choveu bastante. Foi bom isso ter acontecido, pois só assim eu percebi o quão importante é um rápido banho de sol diário.



      Em tempo: já abri o segundo pacote de bolachas recheadas... rsrsrsrs

      Abraços!

      Excluir
    2. Te entendo perfeitamente. Bolachas recheadas são demais! rsrs

      Em tempo, já foram melhores.

      Boa semana e se cuida!

      Excluir
    3. Já foram bem melhores mesmo. 200 gramas, menos açúcar...

      Boa semana e se cuide também!

      Excluir
  8. Tempos difíceis. Tempos de repensar nossas atitudes.

    Deus abençoe você e te proteja sempre 🌷

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Penso como você, Edna: tempo de repensarmos nossas atitudes...

      Que Deus também te abençoe e proteja sempre!

      Excluir
  9. P elo Amor derramado

    A paz enfim reinou

    S ó nos resta o Amado

    C om todo esplendor

    O sol nos vem calado

    A contemplar tanto Amor.

    Boa Páscoa, querida amiga Rosana!
    Tenho escrito vários dias em posts diferentes todos meus sentires.
    É muito sério sim e o limão, por exemplo, desde que o filho teve câncer, faço uso diário com a casca e tudo no liquidificador batido.
    Bjm festivo, carinhoso e fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Roselia,

      Gostei do seu poema, ficou muito bonito!

      Espero que tenha tido uma Boa Páscoa. :)



      Excluir
    2. Interessante o que falou sobre o limão, Rosélia.

      Eu costumo usar somente o suco, sem casca. Mas gostei da dica, vou testar.

      Espero que seu filho tenha seu recuperado bem dessa doença tão cruel.

      Boa semana!

      Excluir
  10. Limão... uso para além de chás... na cara e nas mãos quando vou para a rua, para ambientes mais saturados, como supermercados... neste tempo de pandemia... se o virus se chegar perto... não ficará com muita saúde... além de ser óptimo para tirar manchas da pele...
    Infelizmente... será esta a nossa nova normalidade, por um bom tempo!
    Em 16 de Março... já eu tinha compreendido, e reflectido, sobre a minha estranha gripe de Janeiro que me deixou de rastos, nos meses seguintes... e como eu... muitas outras pessoas assim estiveram por aqui, onde moro... o vírus, já circulava bem antes... e já há artigos que apontam para a sua existência desde Novembro... onde tudo teve origem...
    Desde essa altura... até hoje... fiquei a beber duas canecas de chá, por dia... não para me tentar acalmar... mas porque são uma boa fonte de libertar toxinas, no organismo...
    E no meio de todo este processo... desde essa altura, deixei de me chegar perto da minha mãe, mesmo a tendo por perto... isto se a quiser conservar, até à chegada de uma vacina... pois muito ainda se desconhece sobre este vírus... inclusivé os seus efeitos... sobre quem já teve...
    O problema do Brasil, em tempos de pandemia... é tão somente, a pessoa no cargo máximo que o representa! O tal que não é coveiro!... Os seus exemplos irresponsáveis... podem ter ajudado a mandar para a cova... em quantos vai, nos dias de hoje?... Cinco mil e... ?
    Gostei imenso deste post, ultra esclarecedor!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana,

      Eu também voltei a usar mais limão do que antes. Mas utilizo puro, como suco (1 ou 2 limões e a mesma quantidade de água). Também diminuí o consumo de qualquer produto inflamatório ou que estão entre aqueles que prejudicam a imunidade.

      Como você disse, ninguém sabe as consequências futuras ocasionadas pela passagem desse vírus cruel pelo organismo. Então, a melhor forma é nos prevenirmos no que for possível.

      "E no meio de todo este processo... desde essa altura, deixei de me chegar perto da minha mãe, mesmo a tendo por perto... isto se a quiser conservar, até à chegada de uma vacina... "
      Se mais pessoas pensassem assim, a propagação seria muito menor.

      Lamentável o que está ocorrendo no Brasil... É tudo muito sério, muito mais sério do que alguns políticos acreditam. Já passamos de 10 mil mortos e 150 mil infectados. Isso por que não estão - e creio que nunca serão - feitos testes em massa na população. Pois o número deve ser muito, muito maior do que os dados oficiais...

      Parabenizo o país onde você mora, pois tem controlado de forma efetiva a propagação do vírus.

      Espero que tudo isso acabe logo.

      Boa semana!

      Excluir
  11. Nossa, show esse artigo!!!Sairemos, com certeza, mais fortes dessa fase! :)

    concursosempregos.net/

    ResponderExcluir
  12. É isso Rosana, hoje lendo sua postagem depois de um mês e com números assustadores de gente que foram para nunca mais e outros que ficaram mais com sequelas que nem sei se foi melhor estar vivo, devido lesões seríssimas do neurológico, digo de colega de profissão, que venceram a intubação e que agora enfrentam outra luta na recuperação quase que impossível segundo os parentes. Uma situação nunca vista e ou imaginada por nós desta geração. Nada igual existiu depois da espanhola, com este poder fulminante. O comportamento foi revirado amiga, até nos ensinaram a lavar as mãos. Rompeu nossa amabilidade e receptividade e passamos a ter medo de nossos amigos. E assim nos isolamos e somos massacrados por uma torrente de informações que pouco ajudam e confundem e ainda numa desorganização política nunca vista num momento critico. Tempo de parar para pensar e buscar aprender e renascer. Não creio muito num novo homem depois dessa pandemia, ainda veremos os que só olham para seus umbigos e os que sempre estão de gravidez real, com seu reizinho na barriga achando ser o dono do mundo. Mas é certo, que muito vai mudar e que reinvenção será a ponte de recuperação de todo sistema.
    Que possamos sai dessa sem arranhões amiga e assim fazer parte de um processo de repensar o homem, o progresso a todo custo e um olhar mais critico para o sistema de saúde.
    Muito boa postagem no tempo.
    Carinhoso abraço de paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toninho,

      Seu comentário tão completo reflete bem a perplexidade da maioria de nós em relação aos números catastróficos relacionados à pandemia, às consequências econômicas e ao lamentável cenário político atual.

      Pouco se sabe sobre a doença, sobre seus efeitos (como os danos neurológicos que citou). Pouco se sabe também sobre quais doenças crônicas podem realmente complicar ainda mais a situação de quem contrai o vírus.

      Pessoas saudáveis e jovens estão morrendo devido ao covid-19!
      Dessa forma, todos nós não faríamos parte do grupo de risco, considerando-se que pouco se sabe sobre o assunto se compararmos com o que realmente precisaríamos saber?

      No primeiro momento, a orientação era lavar as mãos.
      Máscaras não eram importantes.
      E de repente, as máscaras tornaram-se tão importante a ponto de serem obrigatórias!
      Com esse exemplo, dá para perceber quanta contradição há na humanidade que simplesmente não sabe como agir diante de um vírus tão letal.

      Chegamos em um ponto tão surreal, que todos nós conhecemos ao menos uma pessoa que contraiu a doença.
      E infelizmente, todos nós também conhecemos ao menos uma pessoa que teve sua vida subitamente abreviada por tal vírus.

      É estranho ver que em pleno século XXI, nem a tecnologia e nem a medicina conseguiram conter a disseminação do coronavírus ou ao menos de seus estragos catastróficos.

      Eu também não creio que a humanidade como um todo mudará muito após tudo isso, mas algumas pessoas terão uma visão mais nítida do que realmente vale a pena.

      A vida de todos nós não será mais a mesma após a pandemia.
      Que com sabedoria, sejamos capazes de olhar de forma mais crítica para o mundo no qual estamos inseridos, pois o progresso a todo custo está saindo muito caro para todos nós. Na realidade já estava, mas agora isso ficou muito mais evidente.

      Abraços de paz para você também,

      Excluir



Tecnologia do Blogger.